Situação meteorológica adversa - Chuva, Neve, Vento Forte e Agitação Marítima

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
portugalgelado

De acordo com o Instituto de Meteorologia, prevê-se para os próximos dias e até Domingo, 08 Fev:

  • Aguaceiros por vezes fortes, existindo condições favoráveis à ocorrência de trovoadas e queda de granizo durante o dia de Quinta-feira.
  • Vento forte com rajadas até 60 km/h na Quinta-feira no litoral a Sul do Cabo Carvoeiro e nas terras altas, aumentando de intensidade na Sexta-feira com rajadas que podem atingir os 80 km/h no litoral e nas terras altas, reduzindo novamente a intensidade no Sábado.
  • Agitação marítima far-se-á sentir na costa Ocidental, com ondas até 6,5 metros, principalmente a Sul do Cabo Carvoeiro. Esta agitação diminuirá para 4,5 / 5 m, durante o dia de Sexta-feira.
  • Na Costa Sul, a agitação marítima será de até 4 m, diminuindo para 3 m ao longo do dia de Sexta-feira.
  • Descida gradual da temperatura mínima até Domingo com possibilidade de formação de gelo ou geada.
  • Queda de neve a cotas acima dos 500 metros na noite de Sexta-feira (Dia 6) e madrugada de Sábado (Dia 7), subindo a cota para 800 m durante o período diurno.
  • No Domingo (Dia 8), a queda de neve, a ocorrer durante o dia, será acima dos 800 m, subindo progressivamente a cota até se limitar aos pontos mais altos da Serra da Estrela.

Os efeitos expectáveis desta situação são:

  • Inundações por transbordo, em linhas de água de regime torrencial ou não dominadas por albufeiras;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de rios nas zonas historicamente mais vulneráveis do Norte e Centro, com especial atenção para a bacia do Rio Vouga;
  • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associada à saturação dos solos, pela perda da sua consistência;
  • Possibilidade de persistência de neve e gelo nas estradas, podendo conduzir a:
    • Retenção temporária de veículos e pessoas nas vias;
    • Aumento de acidentes rodoviários;
    • Isolamento temporário de núcleos habitacionais.
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Possibilidade de aumento de incêndios urbanos por deficiente utilização dos sistemas de aquecimento;
  • Eventuais dificuldades com embarcações e possibilidade de acidentes junto à costa devido à agitação marítima.

Perante a situação prevista pelo Instituto de Meteorologia, determina-se:

Aos Srs. Comandantes Operacionais Distritais (CODIS) e Comandos Distritais de Operações de Socorro (CDOS):
A antecipação do fim do nível de ALERTA AMARELO para as 060900FEV09 e passagem ao estado de MONITORIZAÇÃO de todo o dispositivo de coordenação, comando e intervenção, sob a articulação da ANPC, de escalão distrital e local dos distritos de Aveiro, Coimbra, Leiria, Santarém, Lisboa, Setúbal Portalegre, Évora, Beja e Faro e respectivos Corpos de Bombeiros;
A antecipação do fim do nível de ALERTA AMARELO para as 071200FEV09 e passagem ao estado de MONITORIZAÇÃO de todo o dispositivo de coordenação, comando e intervenção, sob a articulação da ANPC, de escalão distrital e local para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda e Castelo Branco e respectivos Corpos de Bombeiros.

Face ao exposto, a ANPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção e precaução tomando especial atenção:

  • Às informações da Meteorologia e indicações da Protecção Civil e Forças de Segurança, mantendo-se atento à situação, sem gerar alarmismos desnecessários;
  • À adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • À desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes que possam ser arrastados;
  • À não utilização de braseiras em locais fechados, por haver perigo de morte por inalação de gás (monóxido de carbono) libertado pelas mesmas;
  • Aos cuidados a ter com a utilização das lareiras e outros sistemas de aquecimento;
  • A adopção de uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias ou com a redução da visibilidade;
  • Ao não atravessamento de zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Aos cuidados redobrados relacionados com a condução de veículos em zonas afectadas pela neve e gelo;
  • Aos cuidados redobrados com actividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos, passeios à beira-mar e estacionamento de veículos na orla marítima;
  • À adopção de medidas preventivas e de precaução destinadas a evitar consequências desnecessárias;

No que respeita às medidas a ter em conta face a previsibilidade da ocorrência de queda de neve e formação de gelo nas estradas:

Para quem pretende viajar:

  • Evitar fazer viagens para as zonas onde se prevê a queda de neve, procurando antecipar ou adiar essas viagens.

No caso de ter de o fazer, deve:

  • Procurar informar-se através das concessionárias ou das forças policiais, de quais os condicionamentos de trânsito existentes e vias alternativas de circulação;
  • Estar atento antes e no decurso da viagem às informações difundidas pelos Órgãos de Comunicação Social;
  • Circular preferencialmente utilizando as vias rodoviárias mais seguras;
  • Tomar algumas medidas preventivas como sejam munir-se de correntes, alguns agasalhos e alimentação suplementares e garantir o abastecimento do depósito do veículo, para fazer face à possibilidade de ser forçado a paragens prolongadas durante a viagem devido à neve e ao gelo.

Nos locais onde se verifique a queda de neve:

  • Seguir escrupulosamente as indicações transmitidas pelas autoridades policiais no que concerne ao respeito pelos cortes de estrada, percursos alternativos, sinalização e outras informações;
  • Evitar parar ou abandonar a viatura na faixa de rodagem, contribuindo para o aumento do congestionamento de trânsito;
  • Ter especial atenção à brusca formação de gelo na estrada, que poderá dificultar a condução e provocar o atravessamento dos veículos e a ocorrência de acidentes;
  • Evitar comportamentos de risco que poderão originar acidentes.

A Autoridade Nacional de Protecção Civil continuará a acompanhar permanentemente a situação em estreita colaboração com o Instituto de Meteorologia, difundindo os comunicados que se julguem necessários.

Fonte: Autoridade Nacional de Protecção Civil

 

Actualizado em ( Quinta, 05 Fevereiro 2009 15:40 )  


Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda mais informações, consulte a nossa Política de Cookies.

  1. Siga-nos no Facebook Siga-nos no Facebook
  2. Siga-nos no Twitter Siga-nos no Twitter
  3. Siga-nos no Google Plus Siga-nos no Google Plus
  4. Siga-nos no Youtube Siga-nos no Youtube
  5. Siga-nos na Wikipedia Siga-nos na Wikipedia
  6. Siga-nos por RSS Feeds Siga-nos por RSS Feeds
  7. Siga-nos no Flickr Siga-nos no Flickr
  8. Siga-nos no Issuu Siga-nos no Issuu
  9. Siga-nos no Instagram Siga-nos no Instagram