A qualidade do ar num incêndio florestal

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
bombeirocombatechamas

Os grandes incêndios florestais têm como resultado o incremento de quantidades significativas de fumo que podem afectar não só as populações perto da fonte de incêndio, mas também aqueles situados muitos quilómetros de distância, devido à dispersão dos fumos. Geralmente, o fumo dos incêndios florestais é considerado uma mistura complexa de gases, líquidos e sólidos. A exposição aos componentes químicos do fumo de incêndio florestal pode causar uma série impactos, a curto ou a longo prazo sobre a saúde da população exposta e em particular, dos bombeiros.

Esses impactos estão relacionados com factores, tais como a toxicidade do fumo, as características da exposição ao fumo, a periodicidade e freqüência, bem como a vulnerabilidade da população exposta.

O centro Europeu de Incêndios Florestais do Conselho da Europa (ECFF) produziu um estudo sobre o impacto na saúde, a curto prazo, tendo por base situações registadas em 19 centros médicos e hospitais durante os grandes incêndios florestais no Peloponeso, na Grécia, entre 24 e 31 de Agosto de 2007. os resultados deste estudo são apresentados no Volume 5 da publicação «Forest Fire Net» (FFNet5) (www.civilprotection.gr/ecff/ecff.htm).

O controlo da qualidade do ar durante um incêndio florestal é determinante para avaliar a severidade do ambiente próximo da frente de incêndio ou a determinada distância e para o uso efectivo de equipamento de protecção. As análise química de campo pode ser usada como uma ferramenta para a identificação on-line e on-site de componentes perigosos existentes no fumo de incêndio florestal

A Unidade de Química Analítica e Tecnologia, da Universidade Técnica Nacional de Atenas (FIACTU / NTUA) é um grupo de investigação centrado na evolução dos instrumentos de análise portáteis e nas tecnologias emergentes para análise química em diferentes aplicações ambientais.

Além disso, este grupo de investigação utiliza metodologias inovadoras para avaliação da exposição ao fumo, tais como a análise da respiração humana, para a identificação exógena de compostos orgânicos voláteis (COV).

Em geral, os impactos dos fumos resultantes dos incêndios florestais sobre os possíveis receptores necessitem ainda de ser examinados de forma eficaz para lidar com eles.

De acordo com uma teleconferência intitulada "Short and long term health impacts of forest fire smoke on the fire-fighters and the exposed population", que foi recentemente organizado pela ECFF, com a participação de pessoas operacionais e cientistas da Europa (Chipre, França, Grécia, Portugal) e do Conselho da Europa, foi elaborado um catálogo de ideias com a perspectiva de trabalho futuro. A complexidade e a toxicidade do fumo dos incêndios florestais, os equipamentos de protecção individual (EPI), para os bombeiros e população, limites à exposição aos componentes do fumo dos incêndios florestais e os critérios de evacuação, com ênfase sobre os grupos sensíveis da população, são algumas dessas questões. 

Publicações relevantes:

M. Statheropoulos and J.G. Goldammer Vegetation Fire Smoke: Nature, Impacts and Policies to reduce negative consequences on humans and the environment, European and Mediterranean Major Hazards Agreement (EUR-OPA), 2007" (http://www.civilprotection.gr/ecff/scientific_issues.htm)
Μ. Statheropoulos and S. Karma, Complexity and origin of the smoke components as measured near the flame-front of a real forest fire incident: A case study, J Anal Appl Pyrolysis, 78 (2007) 430-437.
Forest Fire Net, Vol 4, Special issue with the presentations of the workshop "Air-quality monitoring in the field and personal protective equipment in big forest fire incidents: a state-of-the art and beyond" 12-13 December 2005, Paris European Center for Forest Fires (ECFF, Council of Europe), October 2006 (http://www.civilprotection.gr/ecff/ecff.htm)
Forest Fire Net, Vol 3, Special Issue with the proceedings of the teleconference: "Short and long term health impacts of forest fire smoke on the fire-fighters and the exposed population", European Center for Forest Fires (ECFF, Council of Europe), October 2005 (http://www.civilprotection.gr/ecff/ecff.htm)

Breve Perfil Científico

Milt Statheropoulos: Professor NTUA (National Technical University of Athens, Greece); Head of the Field Analytical Chemistry and Technology Unit (FIACTU); Director of ECFF (European Center for Forest Fires, Council of Europe) and editor of FFnet (Forest Fire Net); Collaborator of PAT Chair UDeS (QC, Canada). Research activities: integration of field chemical analysis, chemometrics, engineering and emerging technologies in disaster management, environmental science and process control, using interdisciplinary approaches.

Sofia Karma: Dr. Chemical Engineer, Research Associate in the National Technical University of Athens; Member of the Field Chemical Analysis and Technology Unit (FIACTU); Editor of Forest Fire Net (FFNet), a publication of European Center for Forest Fires of the Council of Europe. Research interests: on-site air quality monitoring during forest fires, impacts of forest fire smoke on the firefighters and the exposed population, smoke exposure assessment.

Texto: Texto de M. Statheropoulos, S. Karma
Fonte: Jornal Bombeiros de Portugal

 


Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda mais informações, consulte a nossa Política de Cookies.

  1. Siga-nos no Facebook Siga-nos no Facebook
  2. Siga-nos no Twitter Siga-nos no Twitter
  3. Siga-nos no Youtube Siga-nos no Youtube
  4. Siga-nos na Wikipedia Siga-nos na Wikipedia
  5. Siga-nos por RSS Feeds Siga-nos por RSS Feeds
  6. Siga-nos no Flickr Siga-nos no Flickr
  7. Siga-nos no Issuu Siga-nos no Issuu
  8. Siga-nos no Instagram Siga-nos no Instagram