Painel de Azulejos alusivo ao Centenário da Associação (1893-1993)
colocado na frontaria do Quartel-Sede

 

Figura central, o Ser Humano personificado pelo Bombeiro, sempre pronto a socorrer o seu semelhante, aconchegando ao peito uma criança, símbolo da Humanidade, eternamente indefesa perante o sinistro, abrindo caminho por entre as chamas, quais asas da Fénix que, tal como ela, renasce a cada momento.

De um século de vida, emergem três momentos de reflexão: o incêndio do Palácio de Queluz (1934), o desabamento da Gibalta (1952) e o naufrágio do "Santa Mafalda", em São Julião da Barra (1966).

O grau de Cavaleiro da Ordem de Benemerência simboliza o reconhecimento da Sociedade à obra meritória dos Bombeiros. A planta crescendo sobre a medalha exprime o eterno renascimento da Esperança nos destinos da Corporação, cujo símbolo encima a alegoria.

Original: José Santos

Memória descritiva: Rogério de Oliveira Gonçalves

Actualizado em ( Quarta, 10 Setembro 2008 22:34 )  


Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda mais informações, consulte a nossa Política de Cookies.

  1. Siga-nos no Facebook Siga-nos no Facebook
  2. Siga-nos no Twitter Siga-nos no Twitter
  3. Siga-nos no Google Plus Siga-nos no Google Plus
  4. Siga-nos no Youtube Siga-nos no Youtube
  5. Siga-nos na Wikipedia Siga-nos na Wikipedia
  6. Siga-nos por RSS Feeds Siga-nos por RSS Feeds
  7. Siga-nos no Flickr Siga-nos no Flickr
  8. Siga-nos no Issuu Siga-nos no Issuu
  9. Siga-nos no Instagram Siga-nos no Instagram