Bombeiros defendem "urgente clarificação" de competências

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
gnr_gips

A Federação dos Bombeiros do Distrito de Vila Real defendeu, ontem, uma "clarificação de competências" no combate aos incêndios, para evitar casos como o de Tinhela, em que um comandante dos bombeiros em serviço foi identificado pela GNR.
O comandante dos Bombeiros Voluntários de Cerva, Jorge Campos, foi identificado durante um incêndio, por um elemento do Grupo de Intervenção Protecção e Socorro (GIPS) da GNR, alegadamente devido à intenção de utilizar uma técnica de contra fogo no combate a um incêndio em Tinhela, Concelho de Valpaços.

Em comunicado enviado à Agência Lusa, a direcção da Federação dos Bombeiros do Distrito de Vila Real vem defender uma "urgente clarificação de competências".
"É inconcebível que o comandante das Operações de Socorro decida por determinada táctica e haja uma das forças no teatro de operações com funções definidas por este, que fiscalize e até ameace de prisão o próprio comandante das Operações de Socorro. Estamos em presença de uma contradição no que se refere ao comando único preconizado no Sistema Integrado de Operações de Socorro", refere a federação distrital.
Acrescenta ainda que "o abandono do teatro de operações do incêndio de Valpaços, por parte do Grupo de Intervenção Protecção e Socorro da GNR, sem autorização prévia por parte do comandante das Operações de Socorro, responsável máximo pela coordenação de todos os meios, revela também que é fundamental treinar as diversas organizações envolvidas em acções de Protecção Civil, no sentido da sua articulação ser mais perfeita".
O caso passou-se sexta-feira, num incêndio em Tinhela, em que o comandante Jorge Campos decidiu utilizar contra fogo, facto confirmado pelo próprio à agência Lusa, apesar do nome daquele bombeiro não constar na lista da Direcção Geral de Recursos Florestais.
Os elementos do Grupo de Intervenção Protecção e Socorro presentes, contestaram a opção técnica, ao ponto de ameaçarem o Comandante das Operações com prisão.
A Directiva Nacional para incêndios florestais define o uso do fogo táctico e de supressão como uma ferramenta a ser utilizada através da análise e oportunidade efectuada pelo Grupo de Avaliação e Uso do Fogo (GAUF).
De acordo com a Guarda Nacional Republicana estão 32 pessoas habilitadas, pela Direcção Geral de Recursos Florestais, a efectuar fogo de supressão, sendo 14 pessoas inscritas como "com capacidade para uso de fogo de supressão" e 18 pessoas "com capacidade (...), só quando inseridos num Grupo de Análise e Uso de Fogo - Gauf".
Para a Federação de Vila Real, "esta interpretação é dirigida para incêndios com grandes dimensões, várias frentes com povoamentos contínuos e em situações limite, para as quais é fundamental a existência de especialistas".
No entanto, acrescenta que, "nas situações mais comuns sempre se recorreu a esta técnica como forma mais adequada e eficaz para suprimir o incêndio, que foi o caso".
"Tal interpretação não foi dada pelo Grupo de Intervenção Protecção e Socorro da GNR, o que originou o conflito. A avaliação destas situações implica conhecimento profundo da matéria e experiência que se adquire ao longo do tempo. Pensamos que nenhum destes atributos terá a GNR e como tal é necessário rever os conceitos e transmiti-los com objectividade para não suscitar dúvidas na sua aplicação", pode ainda ler-se no comunicado.
A Federação alertou ainda para o ocorrência de "vários incêndios" no Município de Valpaços que "requerem investigação profunda, fiscalização oportuna e vigilância atenta", uma das "responsabilidades da GNR" que "não está a ter grande efeito neste Concelho".

Fonte: Liga dos Bombeiros Portugueses

 

Redes Sociais

       
Siga-nos no facebook Siga-nos no twitter Siga-nos no google + Siga-nos no YouTube
Acesso ao Flickr Acesso ao Instagram Siga-nos na Wikipedia Acesso ao issuu
Contacte-nos por Email Siga-nos por rss feeds Siga-nos no Linkedin Aplicação para dispositivos móveis

Idioma do Site

Idioma Português   English Translation
tradutor_online

Visitantes Online

Temos 252 visitantes em linha
Contador de Visitas : 6423277

Ocorrências Activas

Listagem das Ocorrências Online do Corpo de Bombeiros
Listagem das Ocorrências Online da ANPC

Risco Incêndio Florestal

Calendário Actividades

Abril 2022 Maio 2022 Junho 2022
Quarta, 18 De Maio De 2022
Imagem Padrão
Se Te Qu Qu Se Do
1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31

Acesso Portal Bombeiro

Faixa publicitária

Boletim Mensal PROCIV

Boletim Informativo Autoridade Nacional de Protecção Civil
Boletim Informativo Autoridade
Nacional Protecção Civil

Recrutamento

Campanha Nacional Incentivo Voluntariado Bombeiros
Campanha Nacional de Incentivo
ao Voluntariado nos Bombeiros

Newsletter ENB-Link

Newsletter da Escola Nacional de Bombeiros
Newsletter da Escola
Nacional de Bombeiros

Aplicação Dispositivos Móveis

Aplicação para Dispositivos Móveis
Aplicação para
Dispositivos Móveis

Bombeiros de Portugal

Jornal Bombeiros de Portugal da Liga dos Bombeiros Portugueses
Jornal Bombeiros de Portugal da
Liga dos Bombeiros Portugueses

Microsoft - Doação Office365

Microsoft Doação de Software
Programa de Doação
de Licenças Office 365

Directiva Operacional

Directiva Operacional Nacional nº 2 de 2019 - DECIR
Directiva Operacional Nacional
nº 2/2019

Microsoft - Doação de Software

Microsoft Doação de Software
Programa de Doação
de Software


Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda mais informações, consulte a nossa Política de Cookies.

  1. Siga-nos no Facebook Siga-nos no Facebook
  2. Siga-nos no Twitter Siga-nos no Twitter
  3. Siga-nos no Youtube Siga-nos no Youtube
  4. Siga-nos na Wikipedia Siga-nos na Wikipedia
  5. Siga-nos por RSS Feeds Siga-nos por RSS Feeds
  6. Siga-nos no Flickr Siga-nos no Flickr
  7. Siga-nos no Issuu Siga-nos no Issuu
  8. Siga-nos no Instagram Siga-nos no Instagram